sábado, 7 de junho de 2008

Laureano Silveira - Pai, Poeta, Pedagogo e Para mim, o tio Laureano :-)







Licenciado em História da Arte e doutorado em Literatura Ibero-Americana pela Vanderbilt University, Nashville [Tennessee, EUA], autor de cinco livros de poesia: Os caprichos [Limiar, 1987], A metafísica do insecto [Kíron, 1988], Os secretos felinos [Limiar, 1991], O lado negro do lado branco [Limiar, 1993] e Os retratos [Pedra Formosa, 1998], aceso crítico nomeadamente da poesia existencial de Egito Gonçalves, de revelação de Poesia/1984, ex-aequo, da Associação Portuguesa de Escritores, de docente do Ensino Superior, e de muitas coisas mais.
(http://poligrafia.weblog.com.pt/)


Não gostava de gatos, mas sempre achei que teria gostado muito de gostar. Lembro-me de o ver completamente arrepiado, em casa do meu pai, nos Olivais, com o gato Klaus a passar-lhe atrás do pescoço, no sofá. Lembro-me de, pequenina, achar que ele era assim um bocadinho rígido, que não admitia maus comportamentos. Mais tarde, lembro-me só dos olhos brilhantes e do sorriso largo quando falava nos filhos ou na patrícia. Estas fotos foram do último dia em que o vi, à menos de um ano, no casamento do meu pai. São fotos cortadas, mas as originais, que não posso aqui pôr, mostram um grupinho genial: o laureano, ao lado, a minha mãe, e em cima, fazendo um triângulo, está o meu pai. Estão os três com sorrisos de presente, passado e futuro. Disse-me à um mês, já doente, e via messenger, que quando estivesse melhor e viesse a lisboa, tinhamos que ir beber uma café só os dois, para conversarmos.


E agora? Agora vou finamente arranjar tempo ler os livros dele. Mas já não vou poder conversar com ele...


...

4 comentários:

Pompeu Miguel Martins disse...

Caríssima,
junto-lhe estas palavras:
www.maquinaroyal.blogspot.com
e um abraço
pompeu

aplpenas disse...

olá, ele há coisas! vim aqui parar para saber quem era o Laureano cujo Requiem me acompanha desde que o meu avô morreu e inda agora me deixou como sempre deixa em lágrimas. Estou a relê-lo porque vai servir de inspiração para a música que tou a fazer para a peça "Antes Que Anoiteça" da Eduarda Dionísio, 4 monólogos de 4 mulheres: Julieta, Antígona, Castro e a Medeia.

Um abraço ao teu tio por mim
agradece-lhe

André

andre.penas@gmail.com

Ana Silveira Pina Escobar Barata disse...

Laureano era meu tio e meu padrinho. Irmão da minha mãe. Para mim era tudo! Um exemplo, um herói, um amigo...levou com ele parte de mim!

Ana Silveira Pina Escobar Barata disse...

Laureano era meu tio e meu padrinho. Irmão da minha mãe. Para mim era tudo! Um exemplo, um herói, um amigo...levou com ele parte de mim!